• Cirurgia Plástica

    A palavra Plastica deriva do grego e significa Modelar ou dar forma ou arte de modelar.

    A Cirurgia Plástica atua fundamentalmente sobre o tegumento, sem deixar de estender o seu campo para\ estruturas mais profundas , como tecido ósseo , cartilaginoso , gorduroso , etc .Essas abordagens visam não so a restauração da forma e da função, mas também a busca das origens das deformidades.

    A Cirurgia Plástica e uma especialidade relativamente nova, com um avanço extraordinário nas ultimas décadas.O advento da técnica microcirurgica , retalhos musculares, fasciocutaneos, septocutaneos e microcirurgicos , desmistificaram a antiga regra de proporcionalidade dos retalhos 1:1.

    Iniciou se outra era com transplantes mais seguros , mais rápidos , dando aos pacientes uma qualidade de vida melhor.Muitas lesões que outrora não timnham tratamento passaram a ser tratadas com sucesso.

    A integração da Cirurgia Plástica com praticamente todas as especialidades cirúrgicas, vieram aumentar e muito as áreas de atuação do cirurgiões plásticos.

    Assim a cirurgia plástica não se limita a finalidade de um resultado estético no tratamento cirúrgico, mas, sim, a uma abordagem mais ampla de um resultado estético, psicológico e ou funcional. Esses objetivos visam a conduzir ou a reintegrar a sociedade os portadores de deformidades congênitas, adiquiridas ou constitucionais.

    Obiviamente, a missão do cirurgião plástico vai muito alem da parte técnica, para ser, indubtavelmente, a especialidade que mais necessita da estreita relação medico-paciente, uma vez que atuamos psiquiatricamente, com as expectativas das mais diversas, e tendo como missão primordial atentar e enfatizar a beleza interior dos pacientes

  • Dra. Fernanda Ferreira Bordi

    ● Formada em Medicina Pela Faculdade de Medicina de Vassouras (1987)

    ● Formação em Cirurgia Geral pelo Hospital São Camilo e Instituto de Biociências da USP (1989/1991)

    ● Formação em Cirurgia Plãstica pela Clínica de Cirurgia Plástica e Queimados da Casa de Saúde de Guarulhos (1992/1994)

    ● Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela SBCP

    ● Atende seus em consultório particular e raliza suas cirurgias em diversos Hospitais,como:São Luiz, St Peter, São Rafael, SP Day Hospital, Santa Joana.Pro Matre, Vila Lobos.

    ● Frequenta periódicamente as Jornadas e Congressos de Cirurgia Plástica no Brasil e Exterior para manter-se sempre atualizada.

  • Consultório

  • Cirurgia plástica inclui os procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos para remodelar as estruturas normais do corpo, a fim de melhorar a aparência e auto-estima. Indivíduos saudáveis ​​com uma visão positiva e expectativas realistas são candidatos apropriados para procedimentos cosméticos. A cirurgia plástica é uma escolha pessoal e deve ser feito por si mesmo, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para tentar encaixar uma imagem ideal.

  • Abdominoplastia

    Indicação:
    Com o envelhecimento, gestações, alternâncias de ganho de peso e emagrecimento, ocorre um abaulamento flácido do abdomen, formado por sobra de gordura e principalmente de pele, podendo chegar a formar um “avental” de pele na parte baixa da barriga.

    A dermolipectomia abdominal, conhecida também como abdominoplastia remodela o abdomen ao retirar o excesso de tecido (pele e gordura) que se acumula abaixo do umbigo e ao ajustar a cinta muscular frouxa. Não é uma cirurgia para emagrecer e sim para o remodelamento do abdomen e do contorno corporal.

    No caso de pacientes que além de flacidez e excesso de pele apresentem gordura localizada no abdomen, a lipoaspiração poderá ser associada para retirar a gordura, enquanto a abdominoplastia corrige a flacidez e o excesso de pele.

    Existem algumas variações da técnica da abdominoplastia:

    abdominoplastia clássica: é a técnica tradicional de abdominoplastia, onde o corte é grande e se localiza na porção inferior da barriga, com um grande descolamento da pele do abdomen. Mais indicada para pacientes com abdome “ em avental”, ou seja, com muita sobra de pele. Costuma não afinar tanto a cintura, além de perder a sensibilidade abaixo do umbigo;

    lipoabdominoplastia: variação mais recente da abdominoplastia, associa a lipoaspiração para dar um contorno mais belo da cintura e da região alta do abdomen (popularmente referida como “ estômago”);

    mini-abdominoplastia: utiliza um corte (incisão) menor e mais baixa no abdome. Indicada para pacientes que tem pequena sobra de pele na região baixa do abdomen. Porém nas pessoas com maior sobra de pele seu resultado fica abaixo do esperado.

    abdominoplastia em âncora: adiciona uma cicatriz vertical no meio da barriga para retirar mais pele, além de melhorar o contorno da cintura. Indicada para pacientes que sofreram perdas acentuadas de peso, como após cirurgias de redução de estômago (bariátricas);

    lifting corporal, body lift ou torsoplastia: utiliza um corte (incisão) em volta de todo quadril. Pode utilizar parte da gordura que seria retirada e desprezada na cirurgia para aumentar as nádegas (glúteos) e deixá-las mais firmes e empinadas. Indicada quando houver sobra de pele flácida acumulada tanto na barriga quanto nas costas (região lombar), principalmente após perda de muito peso ou redução de estômago.

    Tempo de internação
    Entre 12 a 24 horas, dependendo da anestesia.

    Tipo de anestesia
    Geralmente a anestesia é peridural, podendo ser utilizada a geral e raramente a raqui.

    Técnica cirúrgica
    A pele flácida da região inferior da barriga (abdomen) é retirada através de cortes (incisões) em torno do umbigo e na região baixa do abdomen, no sentido horizontal ou com a forma da letra “W”. Estas cicatrizes são habitualmente escondidas abaixo das roupas de banho. Dependendo do caso, os músculos da barriga podem ser aproximados através de pontos para melhorar o contorno abdominal.

    Estrias, tatuagens e cicatrizes de cesárea e de outras cirurgias podem ser retiradas se estiverem na região da pele operada (entre o umbigo e a vulva). O umbigo geralmente é mantido preso nos músculos da barriga e novos pontos (suturas) fazem sua fixação na pele do abdomen.

    Pós-operatório
    O paciente normalmente não fica com drenos, mas em alguns casos pode ficar com o dreno abdominal por um ou poucos dias. Serão retirados conforme a orientação do seu médico, tendo como referência o volume drenado diário. O dreno serve para retirar o líquido (seroma) que se forma entre a pele e o músculo, evitando que ele se acumule, facilitando assim a cicatrização e a recuperação mais rápida.

    Os pontos são retirados entre sete e 20 dias, dependendo do tipo de ponto e de sua localização. A região abdominal inicialmente apresenta um grande inchaço (edema), que se torna máximo com 72 horas. Progressivamente, então, começa a diminuir e com dois meses já se pode notar um contorno mais harmonioso da região abdominal.

    Recomendações pós-operatórias
    Deve-se evitar esforços e manter em uma postura curvada por até sete dias, para evitar tensão na cicatriz, além de dormir com dois ou três travesseiros na cabeça e outro embaixo dos joelhos, pelo mesmo motivo. Dirigir automóveis e atividades domésticas como lavar roupa e louças devem ser evitados por três semanas e exercícios físicos por no mínimo dois a três meses. Deve-se usar uma cinta elástica compressiva por ao menos seis a oito semanas, ou pelo período estipulado pelo médico, para ajudar a diminuir o inchaço (edema) e a tensão no corte (incisão).

    A cicatriz costuma ficar avermelhada por alguns meses, tendendo a clarear entre seis meses e dois anos, dependendo do tipo de pele e genética do paciente.

    Complicações
    Dentre as complicações possíveis, mas pouco comuns, podem ser citadas: acúmulo de sangue (hematoma) ou de líquido (seroma) e dor. Entre as complicações raras estão: infecção, sofrimento da circulação da pele (necrose), abertura dos pontos (deiscências da sutura), tromboses venosas e problemas anestésicos.
    Podem-se usar drenos em lipoaspirações extensas, o que reduz o risco de seroma, por drenar o liquido formado, evitando assim que este acumule.

    Resultado definitivo
    O resultado definitivo da dermolipectomia é atingido após 6 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz.

  • Blefaroplastia

    Indicação
    A plástica palpebral também é chamada de blefaroplastia. Fatores como a idade, textura e tipo da pele, problemas emocionais e herança genética poderão deixar como consequência as seguintes alterações na região das pálpebras:

    -  pele palpebral: excesso, flacidez e alteração da cor;
    -  gordura atrás das pálpebras: aumento do volume e queda (ptose);
    -  músculo palpebral: flacidez e queda (ptose)

    Tempo de internação
    Geralmente mais rápida que as outras cirurgias plásticas, varia entre duas e 12 horas.

    Tipo de anestesia
    Geralmente a anestesia local associado a sedação, mas a anestesia local isolada ou a anestesia geral também são boas opções.

    Técnica cirúrgica
    Através de cortes (incisões) na própria pele das pálpebras que serão retiradas, realiza-se a cirurgia. Essas incisões ficam escondidas numa posição onde ficam imperceptíveis quando os olhos estão abertos. Nesta cirurgia retira-se o excesso de pele das pálpebras inferior e superior, bem como o acúmulo de gordura atrás das pálpebras, além de esticar o músculo palpebral para resultar numa aparência mais jovem da face.

    Uma técnica especial, chamada transconjuntival, onde a incisão é feita dentro da mucosa da pálpebra (conjuntiva), faz com que as cicatrizes fiquem internas, ou sejam, não são vistas na pele. Entretanto esta técnica só pode ser utilizada em pacientes com excesso de gordura e sem excesso de pele.

    Uma outra técnica especial é chamada blefaroplastia subperiostal, onde se consegue na mesma cirurgia tratar a pele, gordura e músculo das pálpebras, bem como elevar a pele do meio da face próxima ao nariz.

    Orientações pós-operatórias

    - evitar esforços físicos por uma semana;
    - colírio semelhante à lágrima deve ser usado a cada duas horas (Lacrima Plus colírio);
    - realizar a higiene dentária normalmente;
    - retornar a dirigir após sete dias, em média;
    - usar cremes para face apenas com orientação médica;
    - não se expor ao sol por no mínimo 2 meses, e usar protetor solar fator 30 ou maior;
    - compressas com água fria sobre os olhos poderão ser úteis para diminuir o tempo de inchaço (edema) e proporcionar certo conforto pós-operatório. Também pode ser feito com chá de camomila gelado;

    Pós-operatório
    As pálpebras tornam-se muito inchadas (edemaciadas) após a cirurgia, chegando ao máximo com 72 horas, quando começa então a regredir. Nesse período algumas pacientes podem ficar com as pálpebras tão inchadas que não conseguem enxergar. Isso não é grave e em algumas horas ou poucos dias esse inchaço (edema) diminui o suficiente para enxergar normalmente.

    Manchas roxas embaixo e em volta dos olhos podem surgir devido ao acúmulo de sangue que desce pela força da gravidade. Entre duas e quatro semanas são absorvidas normalmente pelo organismo.

  • Botox

    A aplicação de toxina botulínica (Botox®) é um tratamento muito eficaz para a eliminação instantânea de rugas faciais, vincos na testa e os famosos "pés de galinha". Com o avançar da idade, vão se acumulando no rosto rugas e marcas de expressão. Contrariamente às substâncias de preenchimento, o Botox® é uma substância que quando injetada, age paralisando a contratura de determinados músculos da face, responsáveis pelo aparecimento de rugas ao redor dos olhos (“pés de galinha”), de rugas horizontais da testa ou localizadas entre as sobrancelhas. Ou seja, ele não faz preenchimento das regiões da face, como o aumento de lábio ou da ponta nasal.

    Como funciona?
    O efeito do Botox® se deve à ação bloqueadora dos impulsos nervosos que determinam a contração muscular. Como não há estímulo nervoso, o músculo permanece em estado de repouso e com isso as rugas resultantes da contratura muscular não se manifestam. A paralisação dos músculos produz um efeito rejuvenescedor na face em virtude do desaparecimento das rugas.

    Segurança:
    O Botox® não requer teste prévio, uma vez que os casos relatados de alergia são muito raros. A única alergia conhecida é à proteína da clara do ovo. Como o Botox® é produzido com albumina, que é uma proteína encontrada na clara do ovo, recomenda-se não usar este produto em pacientes com alergia conhecida a ovo. Felizmente existem outras marcas de toxinas botulínicas fabricadas sem albumina.

    A aplicação é um procedimento simples e tem sido utilizado com eficácia e segurança há mais de 15 anos para tratar diversos transtornos neurológicos e oftálmicos e há 8 anos vem sendo empregado para melhorar as rugas dinâmicas da face. Porém, só deve ser realizado por um médico especializado e com treinamento para esta aplicação. O efeito deste tratamento é temporário, com duração média de aproximadamente 10 meses, podendo ser repetido indefinidamente. Os resultados deste método são excelentes.

    Como se realiza?
    O tratamento cosmético com Botox® é um procedimento simples e seguro. Utilizando umas agulhas muito finas, injeta-se uma quantidade muito pequena do Botox®. A dor é totalmente suportável e não requer anestesia.

  • Cirurgia Íntima

    Indicação:
    O problema é comum, mas poucas mulheres se sentem confortáveis em admitir que querem melhorar a estética da região da vagina. Quando os pequenos lábios são maiores do que deveriam ser, chegando até a ultrapassar os grandes lábios, acabam prejudicando não só a auto-estima da mulher, mas sua performance sexual. A hipertrofia (aumento de volume) incomoda a relação sexual, tira a liberdade e muitas vezes faz com que a mulher se sinta envergonhada ao ficar nua diante do namorado ou marido.

    A cirurgia da intimidade (ninfoplastia) tem o objetivo de reduzir o excesso de mucosa dos pequenos lábios vaginais. Está indicada em pacientes com pequenos lábios aumentados que “pegam” e incomodam na roupa íntima.

    Em pacientes que perderam muito peso, como nas cirurgias de redução de estômago (bariátricas), ocorre uma flacidez da pele região da vulva, que pode ser tratada com lipoescultura na região.

    Tempo de internação
    Entre seis e 24 horas.

    Tipo de anestesia
    A cirurgia é realizada com anestesia local ou peridural, sendo esta última mais confortável

    Técnica cirúrgica
    É realizada uma incisão na mucosa dos pequenos labios (face interna), sendo retirada a quantidade de tecido excedente, ocasionando uma cicatriz discreta e escondida.

    As técnicas mais modernas praticamente não alteram a sensibilidade da região vaginal (zona erógena), o que ocorria com grande frequência nas técnicas utilizadas antigamente.

    Pós-operatório
    A paciente apresentará edema da região, o qual se resolve em média com 10 dias. Os pontos normalmente são absorvidos pelo próprio organismo, não sendo necessário sua retirada. Após a cirurgia, a paciente não deve manter relação sexual por um período de um mês. Os exercícios físicos podem ser retomados após 20 dias.

  • Dermolipestomia de braços

    Indicação
    Com o envelhecimento, após grandes emagrecimentos ou alternância de períodos de ganho e perda de peso, é comum que ocorra um abaulamento flácido da porção posterior do braço. Isto se deve ao excesso de pele formado pelo estiramento desta durante o período de sobrepeso ou da perda de turgor da pele devido à idade. Por ser a pele posterior do braço relativamente fina, ela não contrai o suficiente após a perda ponderal, acarretando o excesso de pele local.

    A dermolipectomia braquial (do braço) visa retirar este excesso de pele, proporcionando um contorno do braço mais natural e menos flácido.

    Tempo de internação
    Geralmente 24 horas.

    Tipo de anestesia
    Geralmente a anestesia geral.

    Pós-operatório
    O paciente deve evitar o excesso de movimentos, principalmente levantar os braços acima dos ombros, por 30 dias, visto que a cicatriz se encontra na axila e será forçada nestes casos. Quanto menor for a tração sobre a cicatriz, menor será o seu alargamento.

    Complicações
    Dentre as complicações possíveis, podem ser citadas: acúmulo de sangue (hematoma), acúmulo de líquido (seroma) e dor. Entre as complicações raras estão: infecção, sofrimento da circulação da pele (necrose), abertura da sutura (deiscências), tromboses venosas e problemas anestésicos.

    Resultado definitivo
    O resultado definitivo da dermolipectomia de braços é atingido após 6 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz.

  • Dermolipestomia de coxas

    Indicação
    Com o envelhecimento, após grandes emagrecimentos ou alternância de períodos de ganho e perda de peso, é comum que ocorra um abaulamento flácido da porção interna das coxas. Isto se deve ao excesso de pele formado pelo estiramento desta durante o período de sobrepeso.

    Devido ao fato da pele interna da coxa relativamente fina, ela não contrai o suficiente após a perda de peso, acarretando o excesso de pele no local. A dermolipectomia de coxas visa retirar o excesso de pele, proporcionando um contorno da coxa mais natural e menos flácido.

    Tempo de internação
    Geralmente entre 24 e 48 horas, dependendo da recuperação e da orientação do médico.

    Tipo de anestesia
    A anestesia pode ser a peridural ou a geral.

    Pós-operatório
    Os pontos são retirados entre sete e 20 dias. Drenos podem ser usados em raras ocasiões, com retirada em até 24 horas.

    O paciente deve evitar o excesso de movimentos, principalmente abrir muito as pernas, visto que a cicatriz se encontra próximo à virilha e será forçada nestes casos.

    A tração natural exercida na cicatriz pelo andar e pela gravidade leva comumente a cicatriz a apresentar um alargamento nos primeiros meses. Quanto menor for a tração sobre a cicatriz, menor será o seu alargamento.

    Complicações
    Dentre as complicações possíveis, podem ser citadas: acúmulo de sangue (hematoma), acúmulo de líquido (seroma) e dor. Entre as complicações raras estão: infecção, sofrimento da circulação da pele (necrose), abertura da sutura (deiscências), tromboses venosas e problemas anestésicos.

    Resultado definitivo
    O resultado definitivo da dermolipectomia de coxas é atingido após 6 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz.

  • Levantamento de Sobrancelhas

    A Cirurgia para elevação do supercílio (sobrancelhas) é conhecida no meio médico como Lifting Frontal , pode ser realizada com ou sem o aúxilio da técnica videoendoscópica. Optamos na maioria das vezes pela utilização do videoendoscópico porque permite menores incisões e cicatrizes, melhor visuialização das estruturas. A cirurgia visa primordialmente reposicionar os tecidos e estruturas da região frontal da face. Removendo assim o ar de cansaço e suavizando os sinais mais visíveis do envelhemento.

    Fatores como envelhecimento, genética, exposição solar, gravidade, estresse e outros fatores ambientais aceleram o envelhecimento facial .

    É de fundamental importância o tratamento associado da pele na cirurgia de face, pré, intra ou pós-operatório, visando um
    melhor resultado final. Dispomos de procedimentos complementares como laser, luz intense pulsada, dermoabrasão, aplicação de toxina botulínica, preenchimentos e “peeling”.

    Indicação
    - Pacientes com ptose (queda) do supercílo ( sobrancellha)
    - Excesso de pele nas pálpebras superiorees
    - Rugas de expressão frontais horizontais
    - Rugas de expressão verticais na glabela ( entre as sobrancelhas)

    Consulta
    A consulta é um dos passos mais importantes dentro de todo o processo que envolve a sua cirurgia. E nesse momento, que além de nos conhecermos, estabeleceremos todo a nossa relação médico-paciente que deve ser baseada na honestidade e confiança, fundamental para o sucesso que almejamos na sua cirurgia;

    Será feita a anamnése detalhada, exame físico e avaliação quanto ao procedimento que você deseja e as reais possibilidades e esclarecimentos de dúvidas;

    Independente da cirurgia que você deseja, uma avalição da sua pele está sempre inclusa nas nossas primeiras consultas (Skin Care).

    Orientações
    A paciente terá um curativo com atadura ao redor da cabeça no primeiro dia pós-operatório;
    É recomendado repouso, evitar exposição solar, e evitar uso de óculos na primeira semana;
    Os pontos serão retirados entre 7-14 dias;
    Banho de chuveiro liberado após a alta;
    Edema é esperado nas primeiras semanas e melhora com drenagem linfática, que deve ser iniciada por volta do quinto dia, por profissionais habilitados;
    O retorno as atividade normais depende de acordo com cada paciente e cada tipo de trabalho, levando em media de 7 dias.

  • Lipoaspiração

    Indicação:
    A lipoaspiração é a cirurgia plástica estética mais realizada no Brasil, Estados Unidos e no mundo. É uma cirurgia para a redução do volume de gordura corporal, em áreas localizadas, conferindo ao paciente um melhor contorno corporal. Embora muitos achem, a lipoaspiração não é feita para perder peso, pois a maior mudança se dá na silhueta corporal e não balança. Quando bem indicada e bem conduzida, é uma cirurgia muito segura.

    Conforme Resolução do Conselho Federal de Medicina, “há necessidade de treinamento especifico para a sua execução” (lipoaspiração). E o profissional mais treinado e capacitado é o cirurgião plástico.

    A lipoaspiração é uma modalidade cirúrgica e possui suas variações de execução conforme indicação. Todos os outros termos “minilipo”, “lipo light”, “hidrolipo” não traduzem necessariamente técnicas médicas cirúrgicas consagradas.

    O termo lipoescultura, onde é utilizada a técnica de lipoenxertia, é aplicado quando parte da gordura aspirada é usada para dar volume a áreas em que se precisa um maior preenchimento como nádegas (glúteos), sulcos da face, depressões embaixo da pele, etc.

    Tempo de internação
    De 12 a 24 horas, dependendo do tamanho da lipoaspiração e da anestesia.

    Tipo de anestesia
    Depende da área a ser operada e do volume de gordura a ser lipoaspirado. Pode ser desde a anestesia local, local com sedação, peridural ou geral.

    Técnica cirúrgica
    Através de pequenos cortes (incisões) de meio a um centímetro, retira-se o excesso de gordura localizada através de cânulas cirúrgicas ligadas a um aparelho de lipoaspiração a vácuo. Para lipoaspiração de áreas mais delicadas, podem-se usar seringas próprias de lipoaspiração conectadas às cânulas.

    Geralmente antes da cirurgia injeta-se uma solução com soro fisiológico e um pouco de adrenalina para que se possa facilitar a cirurgia, sangre-se menos e possa se retirar uma maior quantidade de gordura com mais segurança. Essa técnica é chamada lipoaspiração úmida ou infiltrativa. O limite do volume a ser retirado nunca deve exceder sete por cento do peso corporal, bem como 40% da área do corpo (Resolução nº 1711 do CFM).

    Pós-operatório
    Os pontos são retirados entre cinco e sete dias. Geralmente há inchaço (edema) que a partir de 72 horas começa a diminuir progressivamente. Manchas roxas (equimoses) são frequentes, mas resolvem sozinhas em até 21 dias, na maioria dos casos.

    Durante o primeiro mês após a lipoaspiração o paciente apresenta notável melhora do edema, quando então passa a notar endurecimento na área operada, decorrente da cicatrização interna. Este endurecimento melhora progressivamente durante o segundo e terceiro meses, época na qual ocorre uma maior retração da pele.

    Uma cinta elástica compressiva deve ser usada entre quatro e oito semanas e são indicadas drenagem linfática e ultrassom a partir do quinto dia da cirurgia, no intuito de acelerar a recuperação, reduzir o inchaço e o endurecimento.

    Complicações
    Dentre as complicações possíveis, podem ser citadas: acúmulo de líquido (seroma) e a dor no local da cirurgia. Entre as complicações raras estão: acúmulo de sangue (hematoma), infecção, tromboses venosas, perfurações de órgãos e problemas anestésicos.

    Entretanto, quando a indicação da cirurgia é precisa, a técnica cirúrgica é bem executada, dentro de um centro cirúrgico adequado, os cuidados pré e pós-operatórios são seguidos corretamente, essas complicações são muito raras.

    O seroma, a complicação mais comum em grandes lipoaspirações, é o acúmulo de um liquido claro na região operada, que se apresenta como uma “bolsa d’água”. Nestes casos se procede ao esvaziamento através de punções, com resolução do problema e sem prejuízo do resultado. Podem-se usar drenos em lipoaspirações extensas, o que reduz o risco de seroma, por drenar o liquido formado, evitando assim que este acumule.

    Resultado definitivo
    O resultado definitivo da lipoaspiração se dá após 6 meses, quando todo o inchaço (edema) acaba sendo absorvido pelo organismo, porém chega-se a 80% aos 4 meses. A flacidez da pele pode levar até um ano para apresentar sua retração máxima..

  • Mamoplastia Redutora

    Mastoplastia ou mamoplastia é o nome dado para as cirurgias plásticas das mamas. Alguns tipos de mastoplastias podem ser diferenciados e especificados de acordo com a finalidade da cirurgia, por exemplo:

    - Mastoplastia redutora: objetiva diminuir o volume e dar nova forma às mamas;
    - Mastoplastia de aumento: acrescentam próteses mamárias (de silicone ou de silicone com poliuretano) para projetar esteticamente ou preencher deformidades adquiridas;
    - Mastopexia (cirurgia para corrigir a queda): eleva-se a mama com pequena ou nenhuma redução de volume associado;
    - Mastoplastia de equilíbrio: o objetivo é equilibrar as assimetrias muito evidentes.

    Indicação
    As pacientes procuram os cirurgiões plásticos para uma plástica mamária (mamoplastia) devido aos seguintes motivos:

    queda (ptose) das mamas: ocorre devido a fatores genéticos, idade, gestações, ganhos e perdas acentuados de peso;

    diferenças do tamanho e forma entre as mamas (assimetrias): ocorrem em 95% das mulheres alguma diferença entre as mamas. Quando uma é muito maior ou tem forma muito diferente da outra, a mamoplastia está indicada;

    tamanho das mamas: a diminuição do volume das mamas pode ser desejada devido a objetivos estéticos ou funcionais, como dor na coluna ou alterações na curvatura da coluna (cifose ou escoliose);

    cicatrizes após cirurgias: após cirurgias de biópsias de cistos mamários ou retirada das mamas devido a doenças como câncer.

    Tempo de internação
    Entre 12 e 24 horas.

    Tipo de anestesia
    Pode ser geral, peridural ou local com sedação.

    Técnica cirúrgica
    Dependendo do tamanho, forma e desejo de uma maior ou menor redução das mamas, além das características da pele, os cortes (incisões) e cicatrizes poderão ser em “T” invertido, em “L” ou em volta da aréola. Durante a cirurgia tanto o excesso de pele como de tecido mamário são retirados. Pontos internos e externos na mama farão a sua remodelação.

    Algumas pacientes podem ser beneficiadas com uma técnica mais moderna, chamada popularmente de “autoprótese”, quando tenta se aproveitar a maior parte do próprio tecido mamário para realizar a cirurgia.

    No final da cirurgia é feito um curativo de forma a ajudar na modelagem das mamas, além do uso de soutien específico para mamoplastia.

    Toda e qualquer anormalidade encontrada durante a cirurgia como cistos ou nódulos serão encaminhados para exame específico, assim como também serão examinados todos os fragmentos da mama retirados durante a cirurgia de redução mamária.

    Pós-operatório
    Drenos eventualmente podem ser necessários, com retirada 12 a 48 horas após a cirurgia. Os pontos são retirados entre sete e 20 dias.

    Geralmente a dor depois da cirurgia é pequena. O curativo deve ser trocado pelo cirurgião no consultório nos retornos e fica em torno de 10 a 20 dias. O soutien modelador deve permanecer por dois meses.

    Evolução a longo prazo
    A mastoplastia redutora não é cirurgia para o resto da vida, afinal a paciente continua envelhecendo.

    Alguns fatores como idade, variação do peso corporal, qualidade e textura da pele, influências hormonais, gravidez e lactação interferem nas mamas, independentemente de terem ou não sido operadas. Assim, nova cirurgia poderá ser indicada quando, com o passar do tempo, estas alterações se apresentarem, alterando o formato e/ou volume mamários.

  • Mamoplastia

    Indicação
    As pacientes procuram os cirurgiões plásticos para uma cirurgia de prótese de silicone, também chamada de mamoplastia de aumento, devido aos seguintes motivos:

    - estético: tem mamas de volume pequeno ou normal mas desejam aumentá-las;
    - mamas muito pequenas (hipomastia): volume muito pequeno das mamas;
    - diferenças do tamanho e forma entre as mamas (assimetrias): quando esta assimetria é muito grande, a colocação de próteses de tamanhos diferentes ou colocação de próteses iguais com redução do volume da mama maior está indicada
    c- icatrizes após cirurgias: após cirurgias de biópsias de cistos mamários ou retirada de mamas devido a doenças como câncer;
    - ausência das mamas (amastia): muito rara, a paciente pode ter somente a aréola ou às vezes nem a aréola. Está indicada a colocação de próteses mamárias de silicone, geralmente de grande volume e atrás do músculo peitoral.

    Os tipos de próteses
    O material empregado na fabricação das próteses mamárias geralmente é um tipo de polímero sintético, conhecido como silicone. Este produto faz parte da composição do revestimento da prótese (parte de fora), podendo também ser recoberto por outros produtos , como o poliuretano. Esse revestimento pode ser texturizado (mais utilizado por ser dar menos contratura capsular) ou liso (pouco utilizada atualmente).

    O conteúdo da prótese (parte de dentro) pode ser o gel de silicone, o soro fisiológico ou mesmo alguns tipos de óleos. O material com resultado mais natural e mais seguro quanto a perfurações continua sendo o gel de silicone.

    A forma das próteses pode ser redonda (maior projeção e do “colo” do seio), anatômica (menor projeção do “colo”) ou cônica (mais recente, é uma variação da redonda).

    O perfil pode ser alto (maior projeção da mama e menor diâmetro da base), médio ou baixo (menor projeção e maior diâmetro da base)

    Tempo de internação
    Entre seis e 24 horas, dependendo da anestesia e da preferência do cirurgião.

    Tipo de anestesia
    Pode ser a geral, peridural ou local com sedação.

    Técnica cirúrgica
    Os cortes (incisões) e cicatrizes podem ser:

    - em volta da aréola: indicado quando as mamas são pequenas e sem queda (ptose);
    - embaixo da mama: localizada no sulco inferior da mama, também é indicada para pacientes com mamas pequenas e sem quedas (ptoses);
    - “T” invertido: quando a paciente tem moderada a grande flacidez de pele e queda (ptose), essa é uma boa técnica, com efeito mais duradouro;
    - vertical: localizada entre a aréola e o sulco inferior da mama, indicada para pequena a moderada queda (ptose);
    - na axila: localizada dentro da axila, é indicado quando as mamas são pequenas e sem queda (ptose). No Brasil são pouco utilizadas pois a cicatriz pode ficar aparente quando se usa biquini ou blusas sem manga.

    Localização das próteses
    Esta cirurgia tem por finalidade introduzir uma prótese mamária atrás do tecido glandular das mamas, sendo que esta prótese pode ficar em diferentes localizações. Esta localização leva em consideração o músculo peitoral maior, que fica logo atrás da glândula mamária. Podem ser as seguintes:

    - a frente do músculo peitoral (subglandular): menos dolorosa, recuperação mais rápida. Porém a prótese pode ficar mais visível e palpável, além de ter uma maior chance de contratura capsular;
    - atrás do músculo peitoral (submuscular): resulta num “colo” mais harmonioso e natural, porém a recuperação é mais dolorosa e demorada;
    - técnica dupla (“dual-plane”): a porção superior da prótese fica atrás do músculo peitoral e a parte de baixo da prótese fica na frente do músculo. Essa técnica procura associar as vantagens das duas técnicas acima, diminuindo suas possíveis complicações.

    Orientações pós-operatórias
    Normalmente esta cirurgia não apresenta um pós-operatório doloroso. Os pontos são retirados entre sete e 20 dias, dependendo da técnica. O curativo deve ser trocado pelo cirurgião nos retornos no consultório e permanecem entre 10 e 14 dias. O soutien modelador permanece entre seis e oito semanas.

    Deve-se evitar dirigir automóveis, esforços físicos e atividades domésticas como limpeza da casa e de roupas por três a quatro semanas. Musculação, natação e outras atividades físicas intensas devem ser iniciadas somente após dois a três meses.

    A exposição ao sol e a calor intenso devem ser evitados por dois a três meses e, quando o fizer, protetor solar fator 30 ou maior deve ser utilizado.

    Pós-operatório
    Após a cirurgia podem ocorrer manchas roxas na pele (equimoses), inchaço (edema), pequenos hematomas, abertura do corte (deiscência da sutura), alterações transitórias da sensibilidade e infecção

    As mamas ficam muito inchadas (edemaciadas) inicialmente, sendo que após 72 horas elas começam a desinchar. O resultado final surgirá com seis meses, mas com dois meses já terá diminuído em 50% esse edema.

    A contratura capsular é a formação de uma cápsula fibrosa (endurecida) envolvendo as próteses. Ela é uma intercorrência indesejável que pode ocorrer em cerca de 2% a 4 % com o uso das próteses atuais mais modernas (antigamente podia chegar a 30%). Essa contratura capsular pode ser variável, podendo ir de imperceptível (não necessitando de tratamento cirúrgico) até o comprometimento das mamas com dor e deformidade, causando necessidade de novo tratamento cirúrgico para substituição ou mesmo retirada das próteses.

    Evolução a longo prazo
    A cirurgia de prótese de mamas não é cirurgia para o resto da vida, afinal a paciente continua envelhecendo.

    Alguns fatores como idade, variação do peso corporal, qualidade e textura da pele, influências hormonais, gravidez e lactação interferem nas mamas, independentemente de terem ou não sido operadas.

    Troca das próteses
    A troca das próteses mamárias hoje em dia somente é recomendada nos casos de ruptura (muito rara com as próteses mais modernas), contratura capsular severa, infecção ou desenvolvimento de doenças mamárias incompatíveis com a permanência deste corpo estranho no organismo.

    O controle com o cirurgião plástico, o ginecologista, o mastologista, os exames de mamografia, ultrassom e os auto-exames irão detectar estas alterações, indicando a troca. Não há obrigatoriedade de troca a cada 10 anos. As próteses utilizadas hoje em dia, desde que íntegras e assintomáticas, podem ficar no organismo da paciente até o fim da vida, sem qualquer prejuízo à sua saúde.

  • Mini-abdominoplastia

    Miniabdominoplastia é indicada para pacientes que tenham pequena flacidez de pele acima e abaixo do umbigo e que tenham o umbigo “alto”. O umbigo é alto quando posicionado 2 ou 3 dedos acima da linha dos ossinhos do quadril.

    A técnica consiste na retirada da flacidez de pele sem cicatriz em torno do umbigo, que é apenas solto e posteriormente fixado 2 a 3 dedos abaixo da posição original. A única cicatriz resultante é colocada abaixo da barriga, dentro da marca da roupa de banho, é maior que uma cicatriz de cesárea e menor que a cicatriz de Abdominoplastia Completa ou Lipoabdominoplastia.

    A esta técnica podem ser associadas a Lipoaspiração do abdome e dos flancos, ou seja, o tratamento de gordurinhas localizadas na região da cintura (barriguinha e pneuzinhos). Também pode ser utilizada para corrigir a protrusão do abdome, desde que esta seja pequena a moderada.

    Os pontos são retirados entre 5 e 12 dias após a cirurgia e é possível o retorno ao trabalho com cerca de 15 dias. Deve-se evitar atividades físicas que forcem o abdome e carregar peso por 1 mês e meio. É também recomendável evitar a exposição solar por 3 meses. A Drenagem Linfática é um tratamento que pode acelerar muito a recuperação.

  • Mini Lifiting

    O Mini Lifting é uma cirurgia indicada para pacientes que apresentam flacidez e excesso de pele na face nos graus leve a moderado. Visa através de retirada do excedente de pele, corrigir a flacidez facial, atenuando as rugas estáticas, melhorando o contorno facial e proporcionando assim o rejuvenescimento.

    Grandes excessos de pele geralmente são indicação para a ritidoplastia completa ou lifting facial (cirurgia que abrange toda a face e é geralmente associado à cirurgia das pálpebras).

    Indicação:
    flacidez e excesso de pele na face nos graus leve a moderado.

    Cicatrizes:
    A cicatriz inicia-se na região da costeleta, contorna a orelha e seguem em direção posterior no couro cabeludo.

    Tipo de anestesia:
    Local com sedação ou geral.

    Tempo de internação:
    De 12 a 24 horas.

    Pós-operatório:
    O curativo compressivo é retirado em 24 horas. É comum um certo grau de edema (inchaço) e equimose (roxidão) na face e pescoço, que costumam regredir em até 14 dias. Não costuma haver dor no pós-operatório. Uma certa redução transitória da sensibilidade na região operada é comum.

    Complicações:
    São incomuns, desde que seguidos os cuidados pré e pós-operatórios e a cirurgia realizada por especialista. Porém podem ser citados: hematoma, infecção, alterações da cicatriz e sofrimento de pele (necrose).

    Os fumantes, por apresentarem certo comprometimento circulatório, apresentam maior risco de necrose (sofrimento da pele por falta de sangue). Logo, deve-se abster do cigarro por pelo menos 14 dias antes da cirurgia.

    Resultado definitivo:
    Após dois meses já se alcança grande parte do resultado, porém o resultado definitivo é atingido após seis meses, tempo este necessário para o amadurecimento da cicatriz.

  • Otoplastia

    Indicação
    Essa cirurgia também é conhecida como otoplastia em abano. Algumas pessoas nascem com orelhas com o formato diferente do normal, sendo a forma mais comum e, felizmente a menos grave, chamada de orelha de abano. Esta alteração apresenta sua borda lateral mais distanciada da cabeça, aparentando por isso ser maior. Nestas orelhas há também o apagamento da dobra interna da orelha (anti-hélice).

    A idade ideal para a correção é a partir dos 6 anos, quando a orelha já alcançou o tamanho adulto e a criança começa o período escolar. O intuito da otoplastia é a correção das alterações estéticas da orelha, deixando a orelha de forma natural, sem estigma de orelha de abano.

    Tempo de internação
    Entre três e 24 horas, dependendo da anestesia e da idade do paciente.

    Tipo de anestesia
    Pode ser local, local com sedação ou geral.

    Técnica cirúrgica
    Através de cortes (incisões) localizadas atrás das orelhas (o que fica escondido pela própria orelha), realizam-se pontos (suturas) nas cartilagens, fazendo com que a orelha fique mais próxima à cabeça (crânio) e que as dobras da orelha que são “apagadas” (anti-hélice), possam ser reconstruídas.

    Pós-operatório
    Deve-se evitar qualquer tipo de trauma às orelhas, inclusive dormir sobre ela por 2 semanas. Uma bandagem ou faixa elástica que protege e mantém a orelha imobilizada junta à cabeça deve ser utilizada por 15 a 30 dias durante 24 horas e por mais 15 a 30 dias adicionais somente à noite, apenas para dormir.

    Complicações
    São raras na otoplastia. Porém como toda cirurgia tem seus riscos, podemos citar: hematoma, infecção, deiscência (abertura da sutura) e problemas anestésicos.

    Resultado definitivo
    Logo após a otoplastia, a orelha já se encontra praticamente com o formato final, porém há inchaço (edema) e formação de uma área roxa (equimose) que regridem em até 21 dias. A cicatriz leva 6 meses para amadurecer.
  • Preenchimento Facial

    Com o passar dos anos a pele vai progressivamente perdendo sua hidratação e elasticidade normais. A ação da musculatura facial encontrada abaixo da pele, faz com que essa pele fique marcada por sulcos e depressões que, após alguns anos, irão se tornar mais profundos e visíveis.

    Uma maneira simples e eficaz de tratar esses sulcos e depressões da face é a injeção, diretamente dentro desses sulcos, de um produto que preencha essa espaço. O ideal é que seja um produto encontrado no próprio organismo.

    Um produto eficaz para isso é o ácido hialurônico, encontrado normalmente na pele humana. Ele constitui o chamado “cimento intercelular”, que fica entre as células da pele. Com o passar dos anos ele vai progressivamente sendo menos produzido, ajudando a tornar esses sulcos ainda mais profundos e a pele menos hidratada.

    Ele apresenta algumas vantagens importantes:

    - efeito imediato: o resultado é visto na mesma hora;
    - efeito duradouro: cada aplicação pode durar até dois anos;
    - pode ser reaplicado quantas vezes quiser;
    - a aplicação é praticamente indolor;
    - não necessita anestesia.

    Dependendo da região que se queira preencher ou aumentar, existe um tipo específico de ácido hialurônico.

    Antigamente usou-se muito o poli-metil-metacrilato (PMMA) para preenchimentos definitivos, chamado atualmente de bioplastia. Hoje em dia esse é um produto cada vez menos usado porque vem sendo notadas inúmeras complicações graves em pacientes que foram aplicadas anos atrás, como deformações permanentes em nariz e lábios.

    Por esses motivos, os cirurgiões da Medici Cirurgia Plástica não realizam aplicação de poli-metil-metacrilato. Caso um preenchimento seja necessário, a indicação será pelo ácido hialurônico, um produto encontrado no organismo, absorvível (ou seja, ele desaparece completamente do organismo após dois anos) e que apresenta um resultado muito mais estético e seguro aos pacientes.

  • Prótese de Mamas

    O que é uma Mamoplastia de Aumento?
    A Mamoplastia de Aumento é uma técnica cirúrgica para aumentar o tamanho das mamas.
    Também permite a correção de uma ptose ligeira (designada habitualmente por mamas caídas) e aumentar a firmeza das mesmas.
    Quando está aconselhado fazer uma Mamoplastia de Aumento?
    Pode efetuar esta técnica se achar que as suas mamas são muito pequenas ou desproporcionadas em relação ao seu corpo; também pode ser útil no caso do tamanho das mamas ser assimétrico ou ainda quando tenha havido uma diminuição do tamanho, como por exemplo após a gravidez ou após uma dieta de emagrecimento.

    Como é que esta técnica me pode ajudar?
    Caso deseje fazer uma Mamoplastia de Aumento deve começar por consultar um Cirurgião Plástico. Deve expor abertamente os seus objetivos e expectativas acerca da cirurgia. Deve, contudo, ficar com a idéia que o resultado que se pretende é melhorar e não atingir a perfeição.

    Devo ficar internada?
    Em geral a internação é de 12 a 24 horas. Pode ser submetida a uma anestesia local com sedação ou regional ou anestesia geral.
    Deve discutir os pormenores com o seu Cirurgião.

    Como é realizada a Mamoplastia de Aumento?
    Atualmente existem várias técnicas para se efetuar uma Mamoplastia de Aumento, implicando sempre a introdução de um implante (prótese) atrás do músculo peitoral ou do tecido glandular ou então atrás da fascia (subfascial).
    Esta introdução é feita através de uma pequena incisão que pode estar localizada na axila, no sulco mamário ou à volta da aréola.
    O seu Cirurgião Plástico determinará qual a via de abordagem mais adequada.

    Existem alguns efeitos adversos desta intervenção cirúrgica?
    Em geral apresenta nas mamas algumas equimoses e edema (inchaço) durante 2 a 3 semanas.
    Por vezes forma-se uma cápsula de tecido fibroso á volta da prótese o que faz com que a mama se torne dura à palpação.
    Atualmente não existe evidência que os implantes utilizados provoquem câncer da mama ou interfiram com a amamentação.
    Existe a possibilidade de aparição de estrias na pele, mesmo que pouco frequente, é importante saber dessa possibilidade.

    Esta intervenção cirúrgica é feita sem cicatrizes?
    Não. Tal como todas as cirurgias, esta também tem cicatrizes. Contudo, o seu Cirurgião fará com certeza todos os esforços para que as suas cicatrizes sejam o menos visíveis possível. Em geral têm apenas alguns centímetros e estão localizadas em locais que praticamente se tornam imperceptíveis com o tempo.

    Qual a importância dos fatores psicológicos para a realização da Mamoplastia de Redução?
    A estabilidade emocional é o fator primordial na realização de uma intervenção cirúrgica de natureza estética. Um aumento mamário não é por si só uma garantia para uma melhoria de vida ou um meio para resolução de todos os problemas pessoais; uma Mamoplastia de Aumento melhora a sua aparência e renova a sua autoconfiança.

    Que resultados devo esperar?
    O objetivo da cirurgia é aumentar as mamas para um tamanho proporcionado com o seu tronco. O seu Cirurgião é a melhor pessoa para determinar se as suas expectativas são realistas.

    Quando posso retomar a minha atividade normal?
    Deve estar em condições de retomar a sua atividade em 2 a 3 semanas, embora deva esperar um pouco mais para iniciar a realização de exercício físico mais intenso. O retomar o trabalho ou a sua atividade diária é uma questão pessoal e o seu Cirurgião dar-lhe-á os conselhos adequados.

     

  • Rinoplastia

    Indicação
    A plástica do nariz (rinoplastia) é indicada nos pacientes insatisfeitos com as características do seu nariz, a ponto destas características comprometerem o equilíbrio dos elementos da face. A cirurgia de nariz é recomendada a partir do momento que se atinja a maturidade óssea, o que acontece em torno dos 17 anos.

    Tempo de internação A internação varia de 6 a 24 horas, dependendo do tipo de anestesia e da recuperação do paciente no pós-operatório imediato.

    Tipo de anestesia
    A anestesia mais utilizada é a geral, mas a local com sedação pode ser empregada.

    Técnica cirúrgica
    Durante a cirurgia podemos afinar, levantar e definir a ponta do nariz e afinar e abaixar a giba nasal (dorso nasal). Em alguns casos é necessária a colocação de enxertos de cartilagem para melhor definição do nariz. Também pode-se realizar o tratamento de problemas funcionais como desvio de septo nasal.

    As incisões e cicatrizes resultantes decorrentes da plástica nasal são mínimas. Elas podem se situar na junção do meio do nariz (columela) ou ficar escondidas dentro do nariz.

    A tendência mais atual é utilizar a técnica com a cicatriz na columela (“open” rinoplastia), onde se pode explorar e modificar a anatomia do nariz com maior precisão, inclusive retirando enxertos de cartilagem do próprio nariz.

    Recomendações pós-operatórias

    - evitar assoar o nariz por 30 dias / espirrar de boca aberta;
    - evitar esforços físicos na primeira semana;
    - esportes de contato serão liberados após três meses;
    - higiene corporal cuidadosa sem molhar o curativo;
    - higiene dentária normal;
    - retornar a dirigir após sete dias, em média;
    - dormir de barriga para cima na primeira semana;
    - usar Rinossoro ou similar, várias vezes ao dia por uma semana;
    - evitar exposição solar e ao calor intenso por 8 semanas;
    - não retirar em hipótese alguma os curativos nasais sem ordem médica;
    - não usar óculos por um período mínimo de 20 dias;

    Pós-operatório
    Os pontos da pele são retirados entre cinco e sete dias. O nariz apresenta um intenso inchaço (edema), que é máximo com 72 horas da cirurgia. Após 15 dias já se pode notar uma diminuição importante desse inchaço, mas o resultado final só será bem notado com pelo menos 6 meses. A ponta do nariz é a última região que sofre melhora definitiva do edema, podendo levar até um a dois anos para se chegar ao resultado final.

  • Ritidoplastia

    Indicação
    A cirurgia plástica da face, também chamada de lifting facial ou ritidoplastia é realizada para atenuar a flacidez da pele e da musculatura das bochecha, do pescoço e para se eliminar as rugas faciais. É realizada em pacientes a partir dos 40 anos de idade.

    Tempo de internação
    A internação varia de 6 a 24 horas, dependendo do tipo de anestesia e da recuperação do paciente no pós-operatório imediato.

    Tipo de anestesia
    A anestesia mais utilizada é a geral, mas a local com sedação pode ser empregada.

    Técnica cirúrgica
    Utilizam-se cortes (incisões) que proporcionarão cicatrizes nas regiões que sabidamente possam ser escondidas pela orelha, maquiagem e cabelos. Eles geralmente passam na frente da orelha, contornando-a, até chegar atrás da mesma. Algumas vezes é necessário uma incisão adicional na pele logo abaixo do queixo para tratar a flacidez da pele do pescoço (“papada”).

    Recomendações pós-operatórias

    - evitar esforços físicos por uma semana;
    - higiene corporal cuidadosa sem molhar os curativos;
    - realizar a higiene dentária normalmente;
    - retornar a dirigir após 30 dias, em média;
    - não usar maquiagens e tinturas para cabelo por 30 dias. Recomenda-se tingir os cabelos um dia antes da cirurgia;
    - usar cremes para face apenas com orientação médica;
    - pentear os cabelos com cuidado;
    - lavar os cabelos suavemente após o quarto dia de cirurgia;
    - não se expor ao sol por no mínimo 2 meses, e usar protetor solar fator 30 ou maior;
    - compressas com água fria sobre os olhos poderão ser úteis para diminuir o tempo de inchaço (edema) e proporcionar certo conforto pós-operatório. Também pode ser feito com chá de camomila gelado;

    Pós-operatório
    A face apresenta um intenso inchaço (edema), que é máximo com 72 horas da cirurgia, além da formação de manchas roxas devido ao acúmulo de sangue (equimoses). Após 15 dias já se pode notar uma diminuição importante desse inchaço, mas o resultado final só será bem notado com pelo menos 6 meses. As equimoses desaparecem entre três e quatro semanas. Os pontos são retirados entre sete e 14 dias.

    Cirurgias e procedimentos associados
    O lifting facial pode ser associada às seguintes cirurgias:

    plástica das pálpebras (blefaroplastia);

    lipoaspiração da “papada” do queixo (sub-mento) para eliminar queixo duplo;

    toxina botulínica (Botox®) para tratamento das rugas em volta dos olhos e da testa;

    preenchimento com ácido hialurônico nos sulcos da face e lábios (Surgi Derm® e Surgi Lips®).

  • Video

    Abdominoplastia
    Blefaroplastia
    Lipoaspiração/Lipoescultura
    Mamoplastia
    Mentoplastia
    Mini Abdômen
    Otoplastia
    Prótese de Mama
    Rinoplastia
    Ritidoplastia
  • Midias

    Cirurgia Plástica pós bariátrica no programa
    "A Tarde é Show" - Rede Brasil
    Cuidados na Mamoplastia - Você Mulher
    Vantagens e Desvantagens de fazer uma cirurgia
    plástica no inverno - Consulta ao Doutor
    Dra. Fernanda Bordi fala sobre traição e estética
    no programa Fala que eu te Escuto - TV Record
    Sob Medida - Dra. Fernanda Bordi - Rede TV
  • Entre em contato

    Localização

    Ampliar o mapa

    Rua Itapeva,366 - Cj. 143
    Bela Vista - São Paulo/SP
    Telefone: (11) 3284-6770 | (11) 3262-2980